4 Cases de sucesso de branding: marcas que viralizaram

Tempo de Leitura: 5 minutes

Posicionamento de marca não é algo recente, mas uma eficaz estratégia que tem ajudado a colocar empresas no radar do seu público e a competir com a concorrência.

Aqui no Brasil mesmo, temos casos singulares que trouxeram novos termos às lâminas de barbear e às esponjas de aço, por exemplo, lembra-se?

Acontece que o branding tem sido essencial, quando inserido no alcance de nossas ferramentas tecnológicas de divulgação — como as redes sociais —, permitindo uma exploração multiplataforma de sua marca a ponto de viralizar e, assim, conquistar um lugar ao sol no mundo dos negócios.

E, para que você se inspire em histórias recentes de sucesso, separamos 4 cases de marcas menores que foram alçadas ao estrelato explorando os seus valores — e um contraponto no qual a queda de promessa pode ser determinante para a percepção do consumidor. Acompanhe!

Metrô de Melbourne

Até identificar a necessidade de uma campanha de prevenção de acidentes, a linha metroviária da cidade de Melbourne (Austrália) possuía nada além de alguns cartazes espalhados pelas estações.

O resultado foi a elaboração de uma campanha conhecida como Dumb Ways to Die (DWTD) — algo como as formas mais estúpidas de morrer —, cujos vídeos app e jogo ajudaram a viralizar em escala global o serviço metroviário australiano em pouquíssimo tempo.

Para se ter uma ideia, a campanha acumulou, no primeiro trimestre de 2014, 77 milhões de visualizações no YouTube. Mais que isso: registrou redução de 21% nos acidentes em plataformas.

O case que fica de inspiração para você que busca o propósito de sua marca, neste caso, é que uma perspectiva diferente pode ser adotada, ocasionalmente, para fazer barulho na mídia e alertar sobre questões relevantes para o seu público.

Niantic Inc.

Pelo nome da empresa, poucas pessoas podem saber que se trata da responsável por desenvolver o fenômeno Pokémon Go, um jogo que se tornou uma verdadeira obsessão mundial — da qual a própria Niantic Inc. não imaginava.

O interessante, aqui, é que mesmo com toda a popularidade e rápido desinteresse de boa parte dos usuários, a empresa buscou manter o seu produto relevante, investiu em infraestrutura e, posteriormente, em inovação, resistindo à pressão em desfrutar da popularidade para encontrar o DNA do seu produto.

Como resultado, a empresa possui, hoje, um jogo que ainda é sensação, ao redor do mundo, mas com potencial para ir longe.

 

Nubank

A partir da análise no mercado nacional, em que percebeu-se a baixa confiança do consumidor nos serviços financeiros, a marca Nubank virou case de estudo de branding.

Afinal, em pouco tempo a startup apresentou uma solução imediata, que foi o seu cartão de crédito 100% digital e com anuidade zero. A etapa seguinte foi dar mais autonomia ao seu público-alvo, com uma linguagem desburocratizada, objetiva e humana.

Como resultado, a empresa acumula uma média de 63% de crescimento ao mês, e mais de 400 mil usuários ativos em seus registros e fazendo uso dos seus serviços. Um notável caso de que observar o mercado com atenção, e alinhar a sua marca como um modelo de solução para ele, tem tudo para funcionar.

Chatbooks

Por falar em público, o serviço on-line Chatbooks conseguiu algo remotamente improvável, nos dias atuais: viralizar por meio de um vídeo com 4 minutos de duração.

O segredo? Falar diretamente com o público do serviço a partir da perspectiva de uma mãe que trabalha em casa e ainda lida com o crescimento de seus filhos — e ainda procura por tempo para montar um álbum de memórias com as fotos desses momentos.

Mais um case de sucesso que aponta um alinhamento muito bem definido entre o propósito de uma empresa e com quem ela quer dialogar. Ao saber como solucionar uma demanda — que, às vezes, o consumidor sequer sabia que possuía —, a empresa poderia ter feito um vídeo até mesmo maior que o resultado poderia ser parecido.

Mais importante que a duração, a mensagem era poderosa. E é isso que dá para tirar de lição dessa campanha de impacto.

O lado negro da força: Diletto e Suco do Bem

Do outro lado da moeda, existem casos onde a intenção das empresas em contar uma boa história e se posicionar no mercado pode ter ido longe demais.

É o caso dos sorvetes Diletto e da marca Sucos do Bem, ambas acusadas pelo Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) a respeito do conto de fadas que é a história de cada uma delas.

Com uma narrativa envolvente e fatos históricos que poderiam virar filmes campeões de bilheterias, ambas as empresas se orgulhavam do seu posicionamento de marca tão exclusivo.

Acontece que algumas denúncias de consumidores mostraram o quanto um pouco de maquiagem na verdade pode torná-la um tanto quanto mascarada.

Consequentemente, quando se percebeu que toda aquela história emocionante era, na verdade, uma ficção bem elaborada — mas vendida como fatos —, o consumidor repudiou ambas as marcas, repercutindo amplamente.

No entanto, tal situação fez com que as empresas se retratassem com o seu consumidor, cujo foco foi direcionado em um incansável trabalho de gestão de crise para reafirmar o seu posicionamento de marca e identidade, mantendo-se até hoje no mercado.

Quer saber mais sobre o caso? Clique aqui!

E você, conhece outra história de marcas que viralizaram e ganharam o apelo (ou repúdio) popular para se tornar uma sensação na internet? Compartilhe as suas histórias conosco, no campo de comentários deste post!

O que é Branding?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *